A Polônia é um país marcado pela Segunda Guerra Mundial como nenhum outro.

Foi aqui onde estourou a Segunda Guerra Mundial, no dia 1 de setembro de 1939, quando no primeiro dia do ano letivo, depois das férias de verão, as crianças polonesas, em vez do sino para as aulas, ouviram som de bombas lançadas pelos bombardeiros alemães.

Duas semanas mais tarde, no dia 17 de setembro de 1939, Polônia, se defendendo da Alemanha no oeste e no norte, foi invadida do lado leste pela União Soviética, que cumpriu a sua parte do pacto Ribentropp – Molotov que supunha invasão conjunta da Polônia.

Em consequência desta agressão aliada Polônia desaparece do mapa, tornando-se um território conquistado, no qual os invasores, cada um a seu modo, introduzem terror e repressão.

Os nazistas alemães impõem restrições brutais em todas as áreas da vida social e econômica. A forma mais comum de punição por quebrar as regras impostas, avisada nos anúncios do ocupante, é a pena de morte. Os hitleristas alemães criam nos territórios da Polônia ocupada prisões e campos de concentração,  nos quais está presa, assassinada por trabalho exaustivo e nas execuções em massa população polonesa, más também prisioneiros de guerra soviéticos (a partir de 1941) e de outras nacionalidades.

Campo de Auschwitz-Birkenau

O ocupante alemão persegue com força excepcional a população judaica, que constituia 10% da população da Polônia pre-guerra e a maior concentração de judeus na Europa. A partir de 1942 nos campos de extermínio os hitleristas alemães começam extermínio dos judeus europeus em grande escala, o sîmbolo do que o campo de Auschwitz-Birkenau se tornou.

Por parte do ocupante soviético, os poloneses sofreram desde 1939 as deportações para a Sibéria, assassinatos em massa de oficiais do exército polonês (como o de Katyń, 1940) e outras repressões do aparato comunista soviético. Abandonada por seus aliados ocidentais, a partir dos finais de 1944, a Polônia caiu sob o domínio soviético, perdendo metade do seu territôrio pre-guerra e não sendo possível a recuperação da sua plena soberania.

Polonia dividida entre Alemanha nazista e União Soviética

Em resultado da Segunda Guerra Mundial, a Polônia perdeu 6 milhões de cidadãos, o maior número de todos os países, por porcentagem da população total.

Más foi também aqui na Polônia, onde formou-se o maior movimento de resistência da Segunda Guerra Mundial, onde estourou a maior insurreição desta guerra – o Levante de Varsóvia 1944 e onde não teve nenhuma organização colaboracionista com ocupante alemão. A luta contra o nazismo durou ao longo dos 6 anos de guerra, tanto no país ocupado – através da atividade das organizações de resistência, como no exterior, na maioria das frentes mais importantes desta guerra, nas quais os soldados poloneses participaram – seja na batalha aérea pela Inglaterra, seja na invasão da Itália ou na Frente Ocidental – na Normandia, Bélgica e Holanda.

Conheça esses e outros temas no vídeo que realizámos com Eleazar e Goretti, autores da publicação ‘Pelos Caminhos da Segunda Guerra Mundial‘, que ao longo de 14 anos visitaram nas suas viagens de pesquisa os países mais afetados pela Segunda Guerra Mundial.


Varsóvia em Português

Sou Greg, guia profissional, especializado em acompanhar os brasileiros e portugueses pela Polônia. Dou auxílio e dicas desde o etapa de você programar sua viagem. Atendo na Polônia desde sua chegada no aeroporto. Além de acompanhamento, ofereço transporte, reservas de ingressos aos museus, shows, teatros, restaurantes. Acompanho nos passeios em Varsóvia (que é a minha cidade) e na Polônia inteira.